Estamos perante um mundo que se encontra a sofrer mudanças tão rápidas que se torna fundamental que as próprias escolas, currículos e pedagogias reflitam e acompanhem essa dinâmica. Neste sentido, os atores-chave educativos, desde o governo, autarquias, direções escolares, até aos professores que trabalham nas escolas, procuram frequentemente na inovação novas respostas para problemas antigos.

A Câmara Municipal de Lagoa, sensível e alerta para estas mudanças, e confrontada com as necessidades emergentes do concelho, abriu as portas do município para uma intervenção conjunta entre as áreas da educação, arquitetura e engenharia, rumo ao desenvolvimento e implementação de uma Escola Aprender+, promotora de sucesso e de qualidade das aprendizagens de todos os alunos, num ambiente inovador, flexível, autónomo e inclusivo.

 

Missão

O projeto Escola Aprender+: Ambientes educadores inovadores, surge como proposta de investigação-ação-intervenção, cujo objetivo central se prende com a promoção do sucesso de todos com todos, através do desenvolvimento de uma cultura de autonomia, flexibilidade e inclusão, potenciadora de aprendizagens de qualidade e alinhadas com as necessidades atuais e futuras dos alunos e do município.

Considerando o papel que a tecnologia e as ferramentas digitais gradualmente vão desempenhando no quotidiano escolar e das comunidades, este projeto alia o desafio tecnológico ao pedagógico, potenciando o desenvolvimento de uma escola “transformadora” desde a estratégia até à metodologia. 

 

Com quem?

O projeto “Escola Aprender+: Ambientes educadores inovadores” irá ser desenvolvido com toda a comunidade educativa do Concelho de Lagoa.

 

 

 

 

Decorrerá em Lagoa, nos próximos dias 9 e 10 de novembro, o Encontro Regional de Cultura e Educação Permanente, SABERES EM FESTA, fruto de uma parceria constituída, no segundo ano consecutivo pelo Município de Lagoa (Algarve) pela Associação Portuguesa para a Cultura e Educação Permanente (APCEP),pela Direção de Serviços da Região do Algarve (Direcção-Geral dos Estabelecimentos Escolares) e Universidade do Algarve.

SABERES EM FESTA, terá lugar nos espaços culturais do Auditório Carlos do Carmo e no edifício histórico do Convento de S. José, oferecendo momentos de participação diversificada como workshops, debates, exposições, mostras, espetáculos, num ambiente de aprendizagem, convívio e animação, em que se procura a promoção da cultura e da educação para todos, em todas as idades e contextos da vida social.

Tal como no ano transato, SABERES EM FESTA 2018 pretende reunir as muitas organizações e iniciativas que, enquanto frutos do dinamismo e do empenho cívico da sociedade algarvia, fomentam a curiosidade, a confiança, a vontade de saber mais e capacitam para a criação ou fruição de obras culturais: atividades de natureza cívica, socioeconómica, científica, artística, ambiental, desportiva ou recreativa; projetos que decorrem em instituições de promoção cultural e educativa para todos, (por exemplo, bibliotecas, museus, universidades seniores); iniciativas de ligação de escolas, centros de formação ou universidades à comunidade em geral.

As propostas de participação deverão ser inscritas preferencialmente até 20 de julho de 2018, no formulário.

Quaisquer esclarecimentos adicionais ou no apoio à formulação de candidaturas poderá usar o endereço  ou o contacto telefónico 282 380434.

 

 

O tema do 8º Congresso das Cidades Educadoras Portuguesas propõe-se aberto, motivador de múltiplas leituras. Que inspire e não limite, seja a reflexão teórica, a participação dos autarcas das Cidades Educadoras Portuguesas, ou as experiências e boas práticas a projetar.

Criar (na) cidade é um desafio temático inspirado no “Direito à Cidade”, uma proposta do filósofo e sociólogo Henri Lefebvre, de reconhecido impacto nas visões e reflexões sobre a Cidade, sobre o direito à Cidade, e posteriormente sobre o direito à Cidade Educadora.

Na apresentação à edição portuguesa desta obra de referência, Carlos Fortuna escreveu que este é “um texto que abre e não um texto que culmina uma matura reflexão sobre a cidade e a vida urbana”. Já a 2 de novembro de 2018, o reputado sociólogo português defendeu que o desafio de Lefebvre, lançado há 50 anos, continua bem atual. Esta foi uma das principais conclusões do Colóquio aberto à comunidade lagoense, e participado por técnicos de diversas áreas de intervenção, realizado na Biblioteca Municipal de Lagoa sob o título “O Direito à Cidade - na agenda urbana há 50 anos”.

Para Criar (na) cidade convocam-se os inesgotáveis percursos da criação, as múltiplas formas de habitar, a criatividade, a educação pela arte, a cultura na cidade, as identidades e as imagens das Cidades, os seus sentidos e emoções. 

Apela-se a toos estes componentes que em sistema de redes erigem a Cidade Educadora.

A cidade “é o lugar da sua reprodução. (…) A cidade é obra, mais aproximável da obra de arte do que de um simples produto material. Se há produção da cidade e das relações sociais na cidade, tal constitui uma produção e reprodução de seres humanos por seres humanos, mais do que uma produção de objetos.” (Lefebvre, p. 56).

Criar (na) cidade propõe relacionar a Arte e a Educação, pedindo-lhes dimensões diversificadas da Cidade Educadora, enquanto espaço habitacional e de convívio.

Artes plásticas, artes musicais, artes performativas, arte urbana, vivem na cidade, expressam-se nas dimensões da educação formal, não formal e informal. Todas se constroem no direito de viver e criar a Cidade, formam pessoas criativas, autónomas, com sentido crítico e reflexivo, favorecendo uma participação igualitária e de respeito por todos e todas no acesso à educação e à formação ao longo da vida.

 

 

 

Numa sociedade em constante e acelerada mudança, a educação de crianças e jovens torna-se cada vez mais um desafio que deve ser partilhado entre todos: famílias, escolas e comunidade em geral. Criar as condições necessárias para que essas crianças e jovens desenvolvam as suas potencialidades requer uma pluralidade de olhares, do ponto de vista científico e profissional, sendo fundamental a promoção de encontros que contribuam para a partilha de experiências, de conhecimentos e de novas perspetivas sobre o desenvolvimento infantil e juvenil.

Nesse sentido, comprometida com o seu papel enquanto agente educador, impulsionador e criador de estratégias que promovam o desenvolvimento holístico das suas crianças e jovens, a Câmara Municipal de Lagoa propõe-se a organizar um dia de reflexão que aborde, além das competências cognitivas - com enfoque na aprendizagem da leitura e escrita - a importância do desenvolvimento das competências emocionais para a aprendizagem em contexto educativo e da promoção da capacidade de reflexão, questionamento e resolução de problemas na formação de crianças e jovens com pensamento crítico, criativo e intuitivo.

Ainda no âmbito da leitura, e em torno dos livros e das histórias, pretende-se com este Colóquio refletir sobre como criar experiências de literacia (emergente) para todos, de forma a tornar a promoção da leitura acessível aos diversos perfis de leitores, isto é, a qualquer pessoa. Destacam-se ainda no programa deste dia, os benefícios da leitura em voz alta para o desenvolvimento infantil com a apresentação de um projeto de biblioterapia em unidades de neonatologia e o conceito de parentalidade positiva, enquanto promotor de relações saudáveis entre pais, mães e filhos.

Reforçando o sentido de partilha de experiências e a aquisição de conhecimentos e competências, e com o objetivo de contribuir para a melhoria das práticas pedagógicas dos participantes, na parte da tarde propõe-se ainda a realização de um conjunto de workshops subordinados às temáticas da comunicação para todos, das dificuldades na aprendizagem da leitura e escrita e da filosofia para crianças e jovens.

 

 PROGRAMA COMPLETO 

 

PALESTRANTES 


Lourdes Mata
  Lourdes Mata
ISP - Instituto Universitário
nota biográfica
  Vídeo Lourdes Mata   Sinopse da conferência Sandra Barão Nobre    

 

 
Patrícia Constante
  Patrícia Constante
CM Matosinhos
nota biográfica
  Vídeo Lourdes Mata   Sinopse da conferência Sandra Barão Nobre   Workshop Lourdes Mata
 
João Canossa Dias
  João Canossa Dias
ARCIL
nota biográfica
      Sinopse da conferência Sandra Barão Nobre   Workshop Lourdes Mata
         

Sandra Barão Nobre
  Sandra Barão Nobre
Abiblioterapeuta.com
nota biográfica
  Vídeo Lourdes Mata   Sinopse da conferência Sandra Barão Nobre    
 
Dina Mendonça
  Dina Mendonça
IFILNOVA, NOVA FCSH, UNL
nota biográfica
      Sinopse da conferência Sandra Barão Nobre   Workshop Lourdes Mata
 
Magda Gomes Dias
  Magda Gomes Dias
EPPEP | Blog Mum's the boss
nota biográfica
  Vídeo Lourdes Mata  

Sinopse da conferência Sandra Barão Nobre

 
         

Patrícia Constante
  Maria Helena Horta
ESEC Universidade do Algarve
nota biográfica
  Vídeo Lourdes Mata
       
     

 

 

 

 

O Prémio Maria Barroso é uma iniciativa da Câmara Municipal de Lagoa do Algarve numa parceria com o Grupo Vila Vita, cuja designação se inspira no nome de uma mulher algarvia, portuguesa e europeia, que se distinguiu no seu tempo por uma intensa participação cívica, democrática e cultural. O Prémio Maria Barroso é uma iniciativa da Câmara Municipal de Lagoa do Algarve numa parceria com o Grupo Vila Vita, cuja designação se inspira no nome de uma mulher algarvia, portuguesa e europeia, que se distinguiu no seu tempo por uma intensa participação cívica, democrática e cultural.

O Prémio Maria Barroso pretende distinguir contributos relevantes de mulheres e de homens para a construção e valorização da igualdade, género e cidadania no mundo contemporâneo e em particular no Sul em que nos inscrevemos.
Com a atribuição deste prémio o Município de Lagoa do Algarve pretende, simultaneamente sublinhar o papel dos governos locais e de outras instituições públicas e privadas, na promoção e implementação de práticas de cidadania, de igualdade e de participação de todas e todas nos territórios e contextos em que intervêm.

O Prémio Maria Barroso será concedido, bianualmente à pessoa que durante esse período e na sequência de uma atividade anterior – tiver sido protagonista de uma intervenção particularmente relevante para a eliminação de estereótipos, para a construção social da igualdade, da cidadania e da não discriminação.

Esta intervenção a premiar pode revelar-se na forma de uma ação com grande impacto positivo e reconhecimento público, ou numa sucessão de ações que consubstancie um percurso destacado na área da não discriminação, da promoção da igualdade de género e cidadania.

 

ARTIGO 1º - NATUREZA DO PRÉMIO

O Prémio Maria Barroso é uma iniciativa do Município de Lagoa do Algarve e do Grupo Vila Vita, cuja designação se inspira no nome de uma mulher algarvia, de dimensão nacional e europeia, que se distinguiu no seu tempo por uma intensa participação cívica, democrática e cultural.

ARTIGO 2º - OBJETO DO PRÉMEIO

O Prémio Maria Barroso pretende distinguir contributos relevantes de pessoas individuais ou coletivas para a construção e valorização da igualdade, género e cidadania no mundo contemporâneo e em particular no Sul que habitamos.

ARTIGO 3º - OBJETIVO

Com a atribuição do Prémio Maria Barroso, o Município de Lagoa do Algarve pretende sublinhar o papel dos cidadãos e das cidadãs, dos governos locais e de proximidade, das instituições públicas e privadas, na promoção e implementação de práticas de não discriminação através de dinâmicas de cidadania e de promoção da igualdade nos territórios e contextos em que intervêm.

ARTIGO 4º - PERIODICIDADE

O Prémio Maria Barroso será concedido, bianualmente à pessoa - mulher ou homem – ou instituição que durante esse período, ou na sequência de uma atividade anterior – tiver sido protagonista de uma intervenção particularmente relevante para a eliminação de estereótipos, para a construção social da igualdade, da cidadania e da não discriminação.

ARTIGO 5º - CANDIDATURAS

1. Qualquer pessoa, de nacionalidade portuguesa, residente neste país durante um período mínimo de cinco anos completos e contínuos, pode subscrever e enviar propostas de candidaturas ao Prémio Maria Barroso, até 30 de novembro de cada ano terminado em número par, para o Município de Lagoa do Algarve, Largo do Município, 8401-851 Lagoa Portugal.

2. As propostas de candidatura deverão ser apresentadas através do preenchimento do impresso à disposição dos proponentes no sítio oficial do Município de Lagoa na web, ou na morada referida em 1.

3. As propostas de candidatura poderão ser acompanhadas de documentação considerada útil pelos proponentes, que possa fundamentar a decisão do Júri.

4. Os originais que integrem essa documentação não serão devolvidos, ficando na propriedade do Município de Lagoa. 

ARTIGO 6º - COMPOSIÇÃO E FUNCIONAMENTO DO JÚRI

1. O Prémio será atribuído por um Júri, a designar em cada edição do Prémio Maria Barroso por deliberação da Câmara Municipal de Lagoa.

2. O Presidente e Vice-Presidente serão, respetivamente, designados pelo Município de Lagoa do Algarve e pela empresa parceira, Grupo Vila Vita.

3. Constituirá ainda o Júri, um elemento a designar pela família de Maria Barroso e um representante da comissão governamental que tutela a área da Cidadania e Igualdade de Género.

4. O Município de Lagoa do Algarve designará, também bianualmente, o Secretariado do Júri.

5. Compete ao Presidente do Júri dirigir as reuniões e ao Secretariado redigir a ata das sessões.

6. Em caso de empate, compete ao Presidente do Júri o voto de qualidade.

7. O Júri tem plena liberdade para eleger uma das candidaturas propostas, ou conceder o prémio a outra pessoa ou instituição proposta por elemento(s) do mesmo Júri. Cada membro do Júri poderá propor, durante as sessões, uma candidatura que, em seu parecer, reúna as condições previstas neste regulamento para a atribuição do Prémio Maria Barroso.

ARTIGO 7º - ATRIBUIÇÃO DO PRÉMIO

Cada Prémio Maria Barroso será concedido à pessoa ou instituição que receba a maioria dos votos emitidos pelos membros do Júri.

ARTIGO 8º - ESPECIFICIDADES DO PRÉMIO

1. O Prémio Maria Barroso é, em princípio, indivisível. No entanto, em casos excecionais, em que, no decorrer de votações sucessivas, se mantenha um equilíbrio entre duas candidaturas, o Júri poderá decidir que seja compartilhado.

2. O Prémio Maria Barroso não se destina a ser concedido a título póstumo. No entanto, em casos excecionais, o Júri poderá decidir atribuí-lo a pessoa(s) falecida(s) no período que dista da atribuição do último prémio.

ARTIGO 9º - VALOR DO PRÉMIO

O Prémio Maria Barroso será constituído por uma dotação em dinheiro no valor de 30.000 € (trinta mil euros), sendo que 15.000 € (quinze mil euros) serão suportados pelo orçamento municipal e igual valor será da responsabilidade da empresa parceira do ramo hoteleiro estabelecida no concelho de Lagoa no Algarve, Grupo Vila Vita.

 

 

 

Imprimir


Educação

37°08'14.2"N 8°27'13.5"W
Convento São José
Rua Joaquim Eugénio Júdice
8400-325 Lagoa
Portugal 
Número de telefone +351 282 101 110
 +351 282 380 444
Caixa de correio eletronico 
Ao continuar a navegar está a concordar com a utilização de cookies neste site. Para não autorizar a sua utilização, por favor utilize as opções do seu browser e altere as definições de cookies de acordo com estas instruções.
ACEITAR NÃO